Gastos mundiais com SI alcançarão US$ 81,6 bi em 2016

Segundo Gartner, valor representa um aumento de 7,9% nos gastos do setor e a terceirização de consultoria e TI são as categorias que concentram maiores despesas

Por: Redação, ⌚ 18/10/2016 às 14h59 - Atualizado em 18/10/2016 às 14h59

O Gartner afirma que o gasto mundial com produtos e serviços de Segurança da Informação chegará a US$ 81,6 bilhões em 2016, um aumento de 7,9% em relação a 2015. A terceirização de consultoria e de TI são atualmente as categorias de maiores gastos na Segurança da Informação. Até o final de 2020, espera-se que o maior crescimento seja no teste de segurança, na terceirização de TI e na prevenção contra a perda de dados.

 

A segurança preventiva continuará a mostrar um crescimento constante, visto que muitos profissionais da área possuem preferência de compra por medidas preventivas. Entretanto, soluções como gerenciamento de eventos e informações de segurança e gateways de web seguros estão evoluindo para apoiar as abordagens de detecção e resposta. O Gartner estima que o mercado de SWG mantenha seu crescimento de 5% a 10% até 2020 enquanto as empresas focam na detecção e na resposta.

 

“As companhias estão aumentando o enfoque na detecção e na resposta porque ter uma abordagem preventiva não tem sido eficaz quanto ao bloqueio de ataques maliciosos”, afirma Elizabeth Kim, Analista de Pesquisas Sênior do Gartner. “Recomendamos que os negócios equilibrem seus gastos para incluir ambas.”

 

A analista do Gartner afirma que os gastos com segurança se tornarão cada vez mais orientados ao serviço, uma vez que as empresas continuam a enfrentar uma escassez de talentos e de pessoal. Detecção e resposta gerenciadas estão surgindo com uma demanda das organizações que lutam para implantar, gerenciar e utilizar uma combinação eficaz de conhecimento e ferramentas para detectar ameaças e então deixar seu ambiente novamente em bom estado. Isso é particularmente verdadeiro para ameaças avançadas específicas e internas. Com mais fornecedores de MDR surgindo com foco nos mercados médios, o Gartner prevê que esses serviços sejam um condutor adicional para gastos de segurança de pequenas e grandes empresas.

 

Segundo o Gartner, o gasto em setores de segurança, como software de segurança do consumidor, gateways protegidos de e-mail e plataformas de proteção de terminais, continua a mostrar um crescimento limitado devido à mercantilização.

 

O preço médio de venda de firewalls deve aumentar de 2% a 3% ano a ano até o final de 2018. Esse aumento é impulsionado pelo mercado que se beneficia de maiores demandas para equipamentos de ponta entre prestadores de serviços em Nuvem e outros, devido a uma maior necessidade de banda larga e um número crescente de dispositivos. Enquanto a concorrência entre os fabricantes continua a colocar pressão sobre os preços, as empresas, os prestadores de serviços e organizações com base na web se movimentam para implantar firewalls maiores e mais caros. Como resultado, a implantação de grandes firewalls por prestadores de serviços em Nuvem continuará como uma importante fonte de crescimento de receita para os fabricantes.

 

Atualmente, 50% das empresas têm pelo menos uma forma de DLP integrado. Segundo o Gartner, esse número deve chegar a 90% até 2018, uma vez que as companhias têm implantado  DLP para atender a conformidade regulatória, a proteção de propriedade intelectual e a visibilidade e monitoramento de dados. Soluções mais novas que incluem a entidade do usuário, análise de comportamento e de imagem, aprendizado da máquina e técnicas de correspondência de dados são utilizadas para aumentar as soluções existentes.

 

A adoção da Nuvem pública afetará os gastos com firewall em menos de 10% até o final de 2019, porém, haverá um impacto depois disso. De acordo com o Gartner, enquanto a adoção de software como serviço (SaaS) está crescendo, o efeito dos gastos com firewall estará limitado pelos próximos três anos. O SaaS é a primeira escolha para apenas 16% dos CIOs (Chief Information Officers) pesquisados pelo Gartner em 2015. As transições levam tempo e os fornecedores de agentes de segurança de acesso à Nuvem não somente continuarão a se desenvolver para abranger mais do que apenas o SaaS, mas para também executar funções similares às de infraestrutura como serviço (IaaS) e plataforma como serviço (PaaS). Além disso, os fabricantes de firewall também terão que lidar com um de seus maiores desafios nos próximos anos: decodificar o Secure Sockets Layer (SSL) em escala.

 

Os resultados do estudo do Gartner mostram ainda que metade das médias e grandes empresas adicionará recursos maiores e mais avançados de inspeção aos firewalls de suas redes até 2019, uma vez que a banda larga tem crescido, o que exige firewalls maiores, mais caros e com melhor desempenho. Além disso, as empresas estão procurando firewalls para consolidar outros recursos, tais como filtro da web e capacidades de prevenção contra intrusos. Algumas estão otimizando o firewall com novos recursos de inspeção de conteúdo, como o isolamento de malware.

 

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS