Gemalto revela soluções de criptografia para proteção em cloud

Novos recursos possibilitam que empresas suportem codificações em grande escala e protejam volumes maiores de chaves codificadas para informações sigilosas e aplicativos em nuvem ou on-premise

Por: Redação, ⌚ 13/02/2017 às 16h36 - Atualizado em 13/02/2017 às 16h36

Já que a codificação de dados é cada vez mais adotada para proteger aplicativos e informações sigilosos, a Gemalto anunciou o lançamento de duas novas soluções que dão às empresas velocidade, desempenho e segurança sem precedentes ao codificar dados através da nuvem, aplicativos empresariais e redes corporativas de alta velocidade.

 

O novo SafeNet Luna HSM 7 da Gemalto oferece a plataforma expansível para realizar o maior número de operações criptográficas simultâneas, incluindo codificação, decodificação, autenticação e sinalização digital, ao mesmo tempo em que proporciona proteção para chaves codificadas. Os novos recursos possibilitam que as empresas suportem codificações em grande escala e protejam volumes ainda maiores de chaves codificadas que salvaguardem informações sigilosas e aplicativos em nuvem e nas instalações.

 

Além disso, a Gemalto também anunciou o lançamento de seu SafeNet High Speed Encryptor de 100 Gbps, que oferece desempenho e segurança para proteger dados e comunicações sigilosas através das redes de grande escala e alta capacidade. O novo SafeNet CN9100 High Speed Encryptor, desenvolvido pela Gemalto e sua parceira de codificação Senetas, criptografa tráfegos de rede na Camada 2 para proteger informações trocadas através das redes, entre os escritórios empresariais ou dentro da nuvem a velocidades nativas de 100 Gbps.

 

“À medida que as organizações adotam cada vez mais a Internet das Coisas (IoT) e os aplicativos baseados em nuvem, suas necessidades para lidar com grandes dados se intensifica. A gestão otimizada dos controles de segurança de dados tornou-se vital para que os dados estejam protegidos enquanto transitam entre empresas, ambientes multinuvem, redes e dispositivos”, disse Todd Moore, Vice-Presidente Sênior de Produtos de Criptografia da Gemalto. “Isso faz com que as organizações precisem realizar mais operações codificadas em um período de tempo igual ou menor, o que significa que elas precisam de uma forma fácil e escalável de atribuir segurança diretamente aos dados para protegê-los conforme eles estejam em trânsito ou não.”

 

“Como as organizações são confrontadas com a proteção de mais dados, identidades, transações e pontos de conexão, a codificação altamente expansível e sem atrito de dados é fundamental”, disse Garrett Bekker, principal analista de segurança da 451 Research. “Não é mais uma opção proteger uma parte do ecossistema; a segurança é necessária ao longo de todo o ciclo de vida dos dados, desde a nuvem ou o núcleo da empresa até a ponta da rede.”

 

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS