Sistemas do Grupo Ultra são interrompidos após ciberataque

Companhia opera em regime de contingência e segue avaliando a extensão do incidente a fim de mitigar os efeitos

Por: Redação, ⌚ 13/01/2021 às 10h57 - Atualizado em 18/01/2021 às 16h09

A Ultrapar Participações (Grupo Ultra) informou que sofreu um ataque cibernético em seu ambiente de TI e precisou interromper previamente alguns sistemas, afetando parcialmente as operações de suas subsidiárias. O ciberataque aconteceu nesta segunda-feira (11).

 

A companhia está avaliando a extensão do incidente e atuando para mitigar os efeitos da ação maliciosa a fim de normalizar as operações. Diante do ciberataque, a Ultrapar acionou os protocolos de controle e segurança para bloquear o incidente e minimizar eventuais impactos, por isso precisou operar em regime de contingência.

 

Ipiranga, Ultragaz, Oxiteno, Ultracargo e Extrafarma são empresas que fazem parte do Grupo Ultra.

 

Questionado pela Security Report, o Grupo Ultra não deu mais detalhes do caso como extensão do ataque cibernético, impactos nas operações e se os sistemas já estão normalizados, apenas o fato relevante.

 

O Grupo Ultra é mais uma dentre grandes empresas afetadas por ataques hackers. Em dezembro passado, a Embraer confirmou um ataque grave, em que os cibercriminosos tentaram negociar potenciais pagamentos, mas empresa se recusou a pagar e incidente segue em investigação.

 

Os vendors e companhias globais de tecnologia também estão na mira dos hackers. Essa semana, a Ubiquiti, uma das principais empresas de IoT e equipamentos de rede, sofreu violação de sistemas de segurança e pediu para que os clientes trocassem senhas. Já o ataque à SolarWinds ainda repercute na comunidade de Segurança.

 

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS