Mulheres em Cybersegurança: um diferencial competitivo?

No GS Entrevista desta semana, Andréa Thomé, Líder Brasil na Womcy, e Paula Papis, Co Founder da CyberSecurityGirls BR, falam sobre alguns mitos e verdades sobre a participação feminina no setor de Cybersecurity, além das lições aprendidas e desafios enfrentados ao longo de suas trajetórias profissionais

Por: Redação, ⌚ 22/07/2020 às 14h25 - Atualizado em 23/07/2020 às 18h57

De acordo com as empresas da Fortune (500 maiores organizações do mundo), houve um avanço de mais de 1000% de presença feminina nos últimos 20 anos nas organizações. Porém, as mulheres representam apenas 7% dos CEOs, ou seja, ainda são predominantemente masculinos os cargos de presidência nas empresas. Na comunidade de Segurança da Informação a presença feminina também vem ganhando força e relevância nos mais altos cargos.

 

Para entender melhor como as mulheres vêm atuando em cyber, o GS Entrevista, produzido pela TVD, recebe duas líderes de movimentos importantes: Andréa Thomé, Líder Brasil na Womcy e Paula Papis, Co Founder da CyberSecurityGirls BR. Durante a entrevista, as convidadas destacaram os mitos e verdades da profissão, liderança e capacitação de mulheres no mundo da Segurança.

 

A conversa foi mediada pela jornalista e diretora editorial da TVD e Security Report, Graça Sermoud, e está disponível na íntegra no canal da TVD no Youtube. As histórias são inspiradoras e mostram como o tema tem evoluído dentro das organizações.

 

 



Newsletter

Alex Amorim
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Graça Sermoud

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS