Cogna migra data center com foco em proteção de dados

Plataforma e tecnologia aprimora a segurança em ambientes on-premise e na nuvem, contribuindo para conformidade à Lei Geral de Proteção de Dados

Por: Redação, ⌚ 12/06/2020 às 10h23 - Atualizado em 12/06/2020 às 14h51

A Cogna Educação escolheu a Plataforma de Segurança Centra, da Guardicore, como ferramenta para a migração de data center de uma das empresas do grupo. Empenhados em manter a segurança de um enorme conjunto de informações – relativas a alunos, material didático, sistemas de ensino, serviços e microsserviços de aplicativos – os profissionais de TI da Cogna conseguiram realizar a migração com sucesso em apenas duas semanas.

 

O Gerente de Segurança da Informação do Grupo Cogna, Alex Amorim, considera Zero Trust a prática mais eficiente para proteger infraestrutura de TI, aplicativos e dados da empresa, além das informações de terceiros que ela detém. Para isso é necessária a segmentação detalhada dos fluxos de trabalho – o que coincide com a linha de segurança da Cogna na defesa contra ameaças externas e também contra os movimentos laterais de ameaças dentro do ambiente de tecnologia da empresa.

 

Crescimento e desafios

 

Em dezembro do ano passado, o Grupo Cogna, então denominado Króton, concluiu a aquisição da Somos (hoje Vasta/Somos), uma empresa dedicada ao ensino fundamental e médio. O contrato com o data center que hospedava a Somos terminaria em um mês. Assim, esse era o prazo para integrar toda a infraestrutura e dados da Somos à empresa, fazendo-se necessária a migração para o data center que já hospedava as outras três empresas da Cogna.

 

Como a Plataforma de Segurança Centra já havia sido implementada para proteger as demais empresas do grupo, a solução foi instalar essa plataforma no ambiente que hospedava a infraestrutura Somos antes da migração. Com o sucesso da migração, feita em duas semanas, todos os equipamentos on-premise do grupo foram reunidos em apenas um local, unificando-se também sua nuvem privada.

 

Para mitigar os riscos e preservar a reputação da organização, a Cogna criou uma estrutura de segurança baseada nos princípios de confidencialidade, integridade e disponibilidade, capazes de proteger a infraestrutura, aplicações e dados do grupo. Esses princípios se estendem ao cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor em 16 de agosto deste ano, encontrando a Cogna pronta para atendê-la. A empresa, que vem se preparando para a LGPD desde 2018, tem na microssegmentação oferecida pela Guardicore um aliado importante também na proteção de informações pessoais.

 

Protegendo serviços de TI gerenciados em nuvem

 

Pensando a segurança de modo integral, o Grupo Cogna irá contar com as defesas Guardicore também nos serviços de nuvem pública que utiliza. Ao passar o gerenciamento das soluções em nuvem da empresa que fornece colocation em seu data center para um novo provedor de serviços, que se responsabilizará pela gestão do ambiente, a Cogna aproveita para elevar seu nível de segurança.

 

Alex Amorim conta com a tecnologia Guardicore para atingir esse objetivo: “A nano-segmentação é para monitorar o acesso, a fim de permitir que apenas usuários autorizados acessem cada servidor e cada canal de comunicação entre máquinas. Esse é o tipo de controle que devemos ter hoje”, completa o executivo.

 

 

 



Newsletter

Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Wagner Barcelos
Alex Amorim

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS