Cibercrime acessa dados da vacina Pfizer/BioNTech

Agência Europeia de Medicamentos virou alvo de hackers e arquivos sigilosos foram acessados ilegalmente. Mesmo com ataque cibernético, agência reguladora diz que não haverá impacto no cronograma de revisão

Por: Redação, ⌚ 10/12/2020 às 18h16 - Atualizado em 16/12/2020 às 18h30

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) foi alvo de ataque cibernético nesta quarta-feira (09), incidente que resultou no acesso ilegal de informações da vacina contra a Covid-19, fabricada pelos laboratórios Pfizer e BioNTech. De acordo com o comunicado da EMA, o caso está sendo investigado por entidades e autoridades policiais.

 

O que mais preocupa nesse ataque é o acesso a informações sigilosas da vacina, arquivos com dados de taxa de eficácia, riscos e distribuição, por exemplo. Outro ponto de impacto é no prazo de aprovação da vacina, mas a EMA garantiu que o ataque cibernético não atrasará o cronograma de revisão, previsto para o final de dezembro.

 

Em comunicado conjunto, Pfizer e BioNTech informaram que o ataque atingiu servidores da EMA e que nada foi afetado nos servidores das empresas, tão pouco dados dos voluntários clínicos. Ambas esperam que os arquivos da vacina contra a Covid-19 enviados à EMA sigam o curso normal de aprovação.

 

A Security Report disponibiliza o comunicado da Pfizer/BioNTech (tradução livre):

 

Hoje, fomos informados pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) que a agência foi sujeita a um ataque cibernético e que alguns documentos relacionados à submissão regulatória da vacina candidata COVID-19 da Pfizer e da BioNTech, BNT162b2, que foi armazenada em um Servidor EMA, foi acessado ilegalmente.

 

É importante observar que nenhum sistema BioNTech ou Pfizer foi violado em conexão com este incidente e não temos conhecimento de que qualquer participante do estudo tenha sido identificado por meio dos dados acessados.

 

No momento, aguardamos mais informações sobre a investigação da EMA e responderemos de forma adequada e de acordo com a legislação da UE. A EMA nos garantiu que o ataque cibernético não terá impacto no cronograma de sua revisão.

 

Dadas as considerações críticas de saúde pública e a importância da transparência, continuamos a esclarecer todos os aspectos do desenvolvimento de vacinas e processos regulatórios.

 

Nosso foco permanece firme em trabalhar em estreita parceria com governos e reguladores para levar nossa vacina COVID-19 a pessoas ao redor do mundo da maneira mais segura e eficiente possível para ajudar a pôr fim a esta pandemia devastadora.

 

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS