TSE apura acesso indevido ao sistema da Justiça Eleitoral

Segundo denúncia, hackers tiveram acesso não autorizado ao sistema interno da Justiça Eleitoral e obtiveram dados sigilosos no período eleitoral

Por: Redação, ⌚ 08/11/2018 às 16h58 - Atualizado em 08/11/2018 às 16h58

Segundo informações do site JOTA, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está apurando se, de fato, hackers tiveram acesso não autorizado ao sistema interno da Justiça Eleitoral e obtiveram dados sigilosos do TSE no período eleitoral.

 

A denúncia foi feita através do site Tecmundo que, segundo informações recebidas, o suposto acesso não-autorizado ocorreu ao sistema GEDAI-UE da urna eletrônica. A invasão teria ocorrido no dia 28 de outubro.

 

O GEDAI-EU é um gerenciador de dados, aplicativos e interface com a urna, que fornece às equipes dos cartórios eleitorais e dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) o suporte de software necessário à carga das urnas eletrônicas. É o sistema responsável por gerar os flashes de carga, de votação e mídias para a urna, além de receber e enviar as correspondências para os TREs.

 

Segundo o Tecmundo, os invasores não tiveram acesso ao módulo do sigilo do voto: isso significa que não foi possível acessar a parte do sistema que exibe os votos dos eleitores.

 

O acesso teria acontecido por meio de vulnerabilidades em aplicações desenvolvidas pelo próprio Tribunal, sendo possível um acesso remoto a um dos equipamentos ligados à rede.

 

Em entrevista ao Tecmundo, o pesquisador Diego Aranha, defensor de um modelo mais seguro de contagem de votos, afirmou que “o software de votação já apresentou diversas vulnerabilidades graves e erros de projeto nos últimos anos e que explorar as consequências do evento representa um exercício interessante”.

 

*Com informações dos sites Tecmundo e JOTA



Newsletter

Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Graça Sermoud

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS