Três razões pelas quais a computação em nuvem precisa de proteção de dados

Bruno Lobo, Gerente Geral da Commvault para região Sul da América Latina, reforça que embora as nuvens públicas e privadas sejam altamente seguras, sua organização é a maior responsável pela proteção dos dados – e recuperação rápida – das cargas de trabalho migradas para cloud.

Por: Redação, ⌚ 15/08/2019 às 18h02 - Atualizado em 15/08/2019 às 18h02

As organizações estão adotando, cada vez mais, a computação em nuvem para atingir seus objetivos de negócios. Neste sentido, é importante que as empresas não se esqueçam de um fator importante para esta demanda: a computação em nuvem precisa de proteção de dados.

 

Embora as nuvens públicas e privadas sejam altamente seguras, sua organização é a maior responsável pela proteção dos dados – e recuperação rápida – das cargas de trabalho migradas para a nuvem. Por isso, trago para este artigo as três razões pelas quais a computação em nuvem necessita de proteção de dados.

 

1) Disponibilidade

 

De acordo com a Gartner Research, até 2020, a nuvem será usada para casos que afetam as principais operações comerciais da maioria das organizações. Com as operações críticas em execução na nuvem, as companhias não podem ter tempo de inatividade devido a problemas de disponibilidade de dados, por exemplo.

 

Quer o problema seja um desastre natural, uma interrupção ou até mesmo uma falha humana, a recuperação de dados precisa ser rápida, confiável e abrangente, além de contar com backups confiáveis. Para se ter uma ideia, em uma pesquisa realizada pela Commvault com líderes de TI, 75% indicaram que a proteção de dados e o backup na nuvem eram o projeto que causava mais impacto em seus negócios.

 

Da mesma forma, 68% dos entrevistados disseram que o tempo de atividade, o backup e recovery de aplicações SaaS foram o projeto de nuvem mais impactante. Quando se realiza backup e recupera aplicações SaaS na nuvem, é preciso ter uma recuperação de aplicações rápida e confiável do seu CRM ao seu ERP para manter os negócios em execução.

 

Além disso, 67% dos entrevistados também afirmaram que recuperação de desastres é o projeto de nuvem mais impactante para seus negócios. Manter sua virtual machine, seu banco de dados ou até mesmo arquivos únicos disponíveis é essencial para atender os clientes, processar pedidos e continuar as operações.

 

2) Flexibilidade

 

Hoje, mais CIOs ocupam um lugar de destaque enquanto os principais interessados da organização discutem suas demandas de dados em constante mudança.

 

O líder da área de marketing pode comprar uma nova tecnologia SaaS para direcionar melhor os principais clientes com campanhas. O departamento financeiro pode planejar uma mudança para um ERP baseado na nuvem. O suporte ao cliente pode procurar por mais dados históricos para atender melhor os clientes antigos. Todos esses projetos envolvem dados, que são gerenciados pela equipe de TI por meio de backup e recovery.

 

3) Reduzir as cargas de trabalho da equipe

 

Sua equipe de TI já tem muito trabalho. Deixe a tecnologia simplificar a proteção de dados em nuvem. A moderna plataforma de proteção de dados em nuvem de hoje pode empregar automação, orquestração e inteligência artificial para reduzir as cargas de trabalho. Os projetos podem ser concluídos em menos tempo e com risco reduzido.

 

Se você ainda não tem uma única e abrangente plataforma de proteção de dados que inclua proteção de dados na nuvem e on-premise, é hora de analisar as melhores opções.

 

*Por Bruno Lobo, Gerente Geral da Commvault para região Sul da América Latina.

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS