Isenção de pagamento do IPVA é novo mote de golpe no WhatsApp

Para se disseminar a campanha, além de utilizar o imposto sobre veículos automotores como isca, eles também têm usado engenharia social e notificações dos navegadores e sites, visando enganar o maior número possível de usuários

Por: Redação, ⌚ 16/02/2018 às 17h10 - Atualizado em 16/02/2018 às 17h10

Mais uma nova campanha maliciosa disseminada pelo WhatsApp está sendo propagada. Desta vez, promete isenção do pagamento do IPVA, em um suposto projeto social do governo federal. Para se disseminar a campanha, além de utilizar o imposto sobre veículos automotores – pago no início do ano – como mote, eles também têm usado engenharia social e notificações dos navegadores e sites, visando enganar o maior número possível de usuários.

 

Mensagem maliciosa disseminada pelo WhatsApp (Divulgação)

 

 

A campanha também tem se valido de notificações emitidas pelos navegadores, especialmente o Google Chrome – navegador mais popular no Brasil. O recurso existe tanto nas versões desktop quanto mobile.

 

Mensagem maliciosa disseminada no navegador (Divulgação)

 

 

Ao clicar nos links, as vítimas serão direcionadas para o site da campanha, que solicita que a mensagem seja compartilhada até completar a barrinha, conforme imagem abaixo:

 

 

A campanha segue as mesmas táticas de outras disseminadas na plataforma e identificadas nesse começo de ano: o uso de temas populares e comuns aos usuários – o que sempre acarreta em um maior número de vítimas. O primeiro mês de 2018 já registrou mais de 2 milhões e meio de vítimas desses ataques, somente no Brasil, e a tendência é que essas campanhas não parem ao longo do ano.

 

“Como esse será um ano de eleições e contará com um dos maiores eventos mundiais esportivos, podemos esperar que muitos outros golpes circulando pelo WhatsApp no país, dada sua grande popularidade e facilidade de monetização por parte dos cibercriminosos”, afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab no Brasil.

 



Newsletter

Abian Laginestra
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS