Google remove jogos com malware da Play Store

Aplicativos disponíveis para crianças e adultos, baixados entre 3 e 7 milhões de vezes, continha malware “AdultSwine” e exibia anúncios pornográficos, enganando usuários para comprarem serviços premium

Por: Redação, ⌚ 15/01/2018 às 16h27 - Atualizado em 15/01/2018 às 16h27

O Google, da Alphabet, disse nesta sexta-feira (12) que retirou 60 aplicativos de jogos após a empresa de segurança Check Point dizer ter descoberto novos malwares nos aplicativos disponíveis para crianças e adultos na Google Play Store.

 

O malware exibiu anúncios pornográficos e tentou enganar os usuários para comprarem serviços premium, segundo o Check Point.

 

“Removemos os aplicativos da Play Store, desabilitamos as contas dos desenvolvedores e continuaremos a fazer fortes alertas para qualquer um que os tenha instalado”, disse um porta-voz do Google.

 

O malware “AdultSwine” se esconde dentro de aplicativos de jogos que dados da Google Play dizem ter sido baixados de 3 a 7 milhões de vezes.

 

Os aplicativos não faziam parte da seleção familiar, que é baseada em um programa para ajudar os pais a descobrir conteúdos adequados à idade na Play Store.

 

O Google esclareceu que os anúncios inadequados dentro dos aplicativos não eram anúncios da empresa.

 

O malware também tentou enganar usuários na instalação de aplicativos de segurança falsos, o que podia dar acesso a outros ataques, disse a Check Point.

 

A empresa disse que os jogos e aplicativos destinados a crianças são um novo alvo para criminosos cibernéticos que anteriormente visavam hospitais, empresas e governos.

 

“O elemento mais chocante deste malware é a capacidade de fazer anúncios pornográficos para aparecer sem aviso prévio na tela sobre o aplicativo de jogo”, afirmou.

 

Os jogos incluíram “Paw Puppy Run Subway Surf”, “Shin Hero Boy Adventure Game”, “Drawing Lessons Lego Ninjago” e “Addon Sponge Bob for MCPE”.

 

A Check Point disse esperar que o AdultSwine e malwares parecidos fossem repetidos e imitados por hackers, alertando os usuários para estarem mais atentos na instalação de aplicativos, especialmente aqueles utilizados ​​por crianças.

 

* Com informações da Agência Reuters

 



Newsletter

Abian Laginestra
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS