Cibercriminosos atacam instituições democráticas na Europa

De acordo com a Microsoft, os ataques ocorreram entre setembro e dezembro de 2018 e tiveram como alvo funcionários do Conselho Alemão de Relações Exteriores e escritórios europeus do Instituto Aspen e do German Marshall Fund

Por: Redação, ⌚ 21/02/2019 às 10h36 - Atualizado em 21/02/2019 às 15h34

A Microsoft anunciou nesta quarta-feira, 21, ter descoberto ataques de hackers contra instituições democráticas, de pesquisa e sem fins lucrativos na Europa. Os ataques ocorreram entre setembro e dezembro de 2018 e tiveram como alvo funcionários do Conselho Alemão de Relações Exteriores e escritórios europeus do Instituto Aspen e do German Marshall Fund, disse a empresa.

 

De acordo com a companhia, a atividade maliciosa foi encontrada dentro de seu Centro de Inteligência de Ameaças e Crimes Digitais e teve como alvo 104 contas de funcionários na Bélgica, França, Alemanha, Polônia, Romênia e Sérvia. Muitos dos ataques se originaram de um grupo chamado Strontium, que a empresa já havia associado ao governo russo.

 

O Strontium, um dos grupos de espionagem cibernética mais antigos do mundo, também é chamado de APT 28, Fancy Bear, Sofancy e Pawn Storm por uma série de empresas de segurança e funcionários do governo. A empresa de segurança CrowdStrike disse que o grupo pode estar associado à agência de inteligência militar russa GRU.

 

A Microsoft informou que expandirá seu serviço de segurança cibernética AccountGuard para 12 novos mercados na Europa, incluindo Alemanha, França, Espanha, Suécia, Dinamarca, Holanda, Finlândia, Estônia, Letônia, Lituânia, Portugal e Eslováquia para ajudar os clientes a proteger suas contas.

 

*Com informações da Agência Reuters



Newsletter

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS