Engenheiro de Cibersegurança: o profissional mais requisitado em 2019

Gina Van Dijk, diretora Regional do (ISC)² América Latina, fala dos desafios e oportunidades da área de Segurança Cibernética na região

Por: Redação, ⌚ 12/03/2019 às 17h38 - Atualizado em 12/03/2019 às 17h38

Em 2019, os engenheiros de cibersegurança serão os profissionais de tecnologia mais procurados e bem pagos pelo mercado. Essa é uma boa notícia para os profissionais especializados na área. Porém, essa tendência deverá dificultar ainda mais o trabalho das empresas na contratação e retenção de especialistas em segurança digital.

 

Isso porque tem se tornado cada vez mais difícil para as empresas encontrarem candidatos qualificados para formar equipes de cibersegurança preparadas para evitar as ameaças, à medida que os cibercriminosos aprimoram seus métodos e aumentam a intensidade e os danos causados por seus ataques. Estudo do (ISC)² indica que existe uma escassez de quase três milhões de especialistas em cibersegurança em todo o mundo, e mais de 630 mil dessas posições estão na região das Américas, incluindo o Brasil.

 

A segurança cibernética é hoje um fator crítico para o sucesso dos negócios e, por isso, as organizações estão aumentando consideravelmente os esforços para ter profissionais capacitados nesse setor. Muitas empresas estão adotando soluções de treinamento on-the-job e certificações para treinar os colaboradores que já fazem parte de suas equipes, como forma de suprir a demanda existente e garantir um ambiente mais seguro.

 

A relevância da cibersegurança no mundo corporativo atual é comprovada, também, ao se avaliar os demais cargos que compõem o ranking de profissionais mais requisitados pela área de TI em 2019. Além da posição de Engenheiro de Cibersegurança, a lista enumera outras funções que exigem alta capacitação técnica, como Administrador de Sistemas, Auditor de TI, Engenheiro de Software e Arquiteto de Software.

 

Para os candidatos a um emprego na área, possuir as certificações certas é uma vantagem definitiva e imprescindível. Afinal de contas, os diplomas e certificados mostram que esse profissional alcançou proficiência em áreas específicas de tecnologia e segurança, tornando-o mais atraente para possíveis empregadores.

 

As empresas valorizam candidatos com certificações porque esses profissionais conseguem validar e difundir no ambiente interno um conhecimento mais profundo dos princípios de cibersegurança, o que é especialmente útil em organizações nas quais as equipes de TI compartilham responsabilidades de segurança. Além disso, as companhias atualmente têm necessidade de uma sólida base de Segurança da Informação para garantir o atendimento às exigências dos regulamentos do setor. Assim, profissionais com as habilidades e os conhecimentos certos e que podem comprovar suas qualificações por meio das certificações nunca tiveram um momento melhor para procurar um emprego.

 

Do mesmo modo, os programas de certificações também são vantajosos para empregadores que procuram preencher suas vagas na área de cibersegurança. Além de ser um importante critério para o processo seletivo de novos especialistas, os treinamentos em Segurança da Informação são ferramentas que auxiliam as companhias a habilitar os profissionais que já fazem parte de seus times, oferecendo conhecimento mais profundo e especializado. Essa ação irá ajudar a diminuir o gap da área de cibersegurança e a alimentar o engajamento interno das equipes, valorizando os colaboradores já inseridos na cultura da organização.

 

Possuir as habilidades e os conhecimentos certos, obtidos por meio de capacitação, e comprová-los através de certificações profissionais, como CISSP, CCSP, entre outras, é essencial para profissionais em busca de oportunidades e para empresas que desejam estar preparadas para os desafios de um mundo conectado e repleto de ameaças digitais. Resta saber quem aproveitará o momento e usará a Segurança da Informação a seu favor, seja para conseguir uma colocação profissional de destaque no mercado ou para obter os melhores resultados de negócios.

 

*Gina Van Dijk é diretora Regional do (ISC)² América Latina



Newsletter

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS