Aumenta a adoção de soluções de autenticação biométrica móvel e de controle de acesso e identificação como serviço

Segundo o Gartner, em 2022, 70% das organizações que usam autenticação biométrica para acesso de suas operações, implementarão ferramentas de controle por meio de aplicativos para smartphones, independentemente do dispositivo de ponto final usado. Em 2018, esse número era inferior a 5%

Por: Redação, ⌚ 11/07/2019 às 11h42 - Atualizado em 11/07/2019 às 11h42

foto-criado-por-onlyyouqj---br_fr

 

De acordo com as análises do Gartner, os menores custos e a melhor experiência do usuário e dos clientes (UX e CX, respectivamente) são os principais motivos que estão alimentando esse crescente interesse na autenticação biométrica móvel.

“Os líderes de gerenciamento de segurança e risco responsáveis ​​pelo controle de identidades e acessos (IAM – de Identity Access Management, em inglês) e pela prevenção de fraudes continuam buscando abordagens que equilibrem confiabilidade, conformidade, custo total de propriedade e as questões de experiência aos usuários”, diz Ant Allan, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner.

“A autenticação biométrica usa características biológicas ou comportamentais exclusivas de cada pessoa e oferece uma melhor experiência para clientes e colaboradores e mais segurança do que outros métodos comuns. Implementar isso por meio de aplicativos para smartphone fornece mais consistência para as demandas de UX e CX, e é tecnicamente mais simples usar esses aparelhos móveis do que suportá-los diretamente em diferentes dispositivos específicos para esse tipo de serviço”.

Organizações de médio e grande porte que buscam implementar a autenticação biométrica por meio de aplicativos de smartphone devem estar cientes de que as abordagens que podem ser prontamente suportadas em qualquer dispositivo estão vulneráveis ​​a ataques de apresentação ou “spoofing”, em fraudes que usam fotos, vídeos, gravações de voz e assim por diante. Portanto, a detecção de ataques de apresentação ou “testes de vivacidade” é essencial.

 

Soluções de controle de identidades e acesso entregues como serviço atenderão à maioria das necessidades

O Gartner indica que, até 2022, 40% das organizações globais de médio e grande porte usarão recursos de controle de identidade e acesso fornecidos no modelo de software como serviço (SaaS) para atender à maior parte de suas necessidades – de 5% em 2018.

As soluções de controle de identidade e acesso fornecidas com SaaS são frequentemente implementadas para aprimorar as bases de software de gerenciamento de acesso. A facilidade de implementação e o rápido tempo de valorização das ofertas entregues no formato de SaaS se mostraram valiosas para as organizações que favorecem a adoção de software como serviço e não consideram o gerenciamento operacional da funcionalidade essencial para seus negócios.

“Com base nas interações com nossos clientes, a maioria das compras de sistemas de controle de identidade e acesso no modelo de software como serviço é para gerenciamento de acesso e funcionalidade de administração de identidade simples, como o de registro único. Essas ofertas oferecem excelente conectividade e incluem recursos sólidos de gerenciamento de acesso e de senhas. Os segmentos de B2B e B2C são os casos de uso mais estabelecidos com capacidades de gerenciamento de acesso amadurecido”, afirma Abhyuday Data, Analista Principal de Pesquisa do Gartner.

O movimento constante de aplicações para ambientes em Nuvem e arquiteturas móveis também está influenciando a adoção de soluções no formato de serviços. A combinação de ofertas funcionais que são simplesmente configuradas e arquiteturas móveis mais modernas está fazendo com que uma parte substancial do mercado adote sistemas de controle de identidade e acesso no modelo de software como serviço.

“As organizações que desejam usar soluções de controle de identidade e acesso móveis e entregues como serviço devem primeiro garantir que tenham estabelecido estruturas satisfatórias e bem suportadas de software de controle e identificação de acesso tradicionais. Essas companhias precisam considerar as ferramentas de controle de acesso e identidade entregues como SaaS quando as necessidades funcionais foram atendidas e os benefícios organizacionais foram alcançados”, explica o analista.

 

 



Newsletter

Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Alex Amorim

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS