Atualizações de segurança em chips não afetaram desempenho, revela Google

Falhas Specter e Meltdown foram corrigidas nos sistemas da empresa e não impactaram os serviços de nuvem

Por: Redação, ⌚ 12/01/2018 às 15h58 - Atualizado em 12/01/2018 às 15h58

O Google, da Alphabet, anunciou nesta quinta-feira (11) que já implantou atualizações de software contra falhas de segurança de chips Specter e Meltdown no ano passado, sem impactar os serviços de nuvem.

 

As falhas, que afetam os chips Intel, AMD e ARM, pode permitir que hackers leiam a memória de um computador e roubem senhas, colocando praticamente todos os celulares, computadores e servidores em risco.

 

Pesquisadores do Project Zero do Google, em conjunto com pesquisadores acadêmicos e industriais de vários países, relataram falhas publicamente em 3 de janeiro, mas as principais empresas de tecnologia disseram saber dos erros há meses.

 

O Google disse que começou a implementar atualizações para a Meltdown e uma variante da Specter em setembro e, em dezembro, criou uma atualização para a Variant 2 da Specter, que é mais difícil de consertar sem desacelerar os sistemas.

 

“Este conjunto de vulnerabilidades foi talvez o mais difícil e desafiador de consertar em uma década”, afirmou o executivo do Google, Ben Treynor Sloss.

 

A Microsoft também lançou atualizações para as falhas, mas no início desta semana admitiu que sua correção para a Variant 2 desacelerou alguns computadores pessoais e servidores, com sistemas com processadores Intel mais antigos que apresentaram uma diminuição notável de desempenho.

 

A Intel disse nesta quinta-feira que emitirá consertos para 90 por cento dos chips com menos de 5 anos até 15 de janeiro e então se concentrará em atualizações para os chips mais antigos.

 

* Com informações da Agência Reuters

 



Newsletter

Graça Sermoud
Marcos Semola
Ronaldo Hayashi
Joaquim Garcia

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS