Maioria das menções nas redes sociais apoia Marco Civil

Análise de sentimento de mais de 8.000 menções em redes sociais mostra apoio da sociedade para a aprovação da lei, sancionada na semana passada

Por: Redação, ⌚ 28/04/2014 às 10h57 - Atualizado em 09/09/2016 às 15h05

A Burson-Marsteller, agência global de relações públicas e assuntos públicos, realizou uma pesquisa sobre o sentimento e a reação das pessoas em redes sociais, blogs e imprensa online sobre aprovação do Marco Civil da Internet, sancionado pela presidente Dilma Rousseff na semana passada. A análise identificou 11.813 publicações sobre o assunto entre os dias 18 de março e 17 de abril. O estudo mostrou que o sentimento nas redes é, em sua maioria, em apoio ao Marco Civil, com 69% a favor e 21% contra. Posts neutros representaram 10% do total.

 

Os dados foram coletados por meio da ferramenta Radian6. A análise foi feita pelas equipes de Public Affairs e Digital da Burson-Marsteller, por meio do Burson Pulse, metodologia global de Inteligência de Dados da agência. A análise de sentimento de 8.200 posts – cerca de 70% do total de menções na Internet brasileira – demonstrou grande apoio da população pela aprovação do Marco Civil.

 

Durante o período da pesquisa, foram identificados dois picos: um na aprovação do Marco Civil na Câmara, no dia 25 de março, e o outro no “tuitaço” a favor da urgência da votação da PLC 21 no Senado, que aconteceu no dia 15 de abril. O “tuitaço” fez com que o Twitter, fosse o canal que mais gerou menções ao tema, concentrando quase 92% do total de posts sobre o assunto, dos quais 77% foram a favor da aprovação do Marco Civil.

 

Importantes nomes ligados ao Marco Civil, como Marco Gomes, fundador do Boo-Box, que discursou na Câmara em apoio ao projeto; e do deputado e relator Alessandro Molon, foram os grandes influenciadores no canal. No YouTube e Facebook, onde foram coletados somente dados de posts abertos, prevaleceram as menções negativas sobre o tema.

 



Newsletter

Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues

/ VEJA TAMBÉM



/ COMENTÁRIOS