CSO: Experiência define a melhor estratégia

Como líder de SI, esteja cercado por pessoas que possuam a mesma visão que você, acreditam em sua liderança e seu projeto de cibersecurity, pois o poder da visão concede segurança, ânimo, motivação e propósito para que seu projeto se concretize

O valor da Cybersecurity para as empresas

O que fazer para a empresa aceitar ou não um processo de cibersegurança? O que fazer para o mercado formar profissionais capacitados e articulados para lidar com a matéria?

O novo Cyber Security Officer

Um relatório recente destacou que o CSO pode assumir características diferentes: Defender, Scientist, Sleuth, Hacker, Firefighter, Strategist e o Advisor. Mas quais habilidades definirão um bom líder de Segurança?

A Realidade da Gestão de Risco em Fornecedores

A “third party” é uma das grandes preocupações dos líderes, considerando a dificuldade de gerir de forma adequada o compartilhamento de dados da sua empresa com os serviços terceirizados, seja em cloud ou conexões externas

Gestão de Risco é para todas as empresas?

Se não houver um compromisso por parte da alta gestão não adianta nem começar a implementar. Caso siga adiante, vai servir apenas para criar uma imagem ilusória de um processo ineficaz e iludir alguns, como a gestão de terceiros (third-party), caso o ambiente tecnológico seja inspecionado sobre a maturidade em segurança da informação

CSO vs Board e como combater ciberataques

Os executivos estão cada vez mais interessados e abertos para ouvir os CSOs, mas esperam destes profissionais um diferente nível de comunicação na hora de se apresentar. A chave é ser claro, objetivo e não pecar

Quais skills são esperadas de um líder de cibersegurança?

Profissionais de SI precisam dominar conceitos técnicos, metodologias e frameworks de segurança, conhecer regulamentações, legislações locais e processos de negócio, entender a psicologia humana e exercer a resiliência para enfrentar as adversidades ao resolver problemas complexos do setor

O “fantasma” do Business Continuity

Manter um processo de BCP e DRP é muito mais complexo do que se possa imaginar e requer tempo e recursos; grandes corporações possuem uma área exclusiva e dedicada para esta matéria e pequenos detalhes geram muitas dúvidas

CSO: não ignore a gestão de vulnerabilidades!

Pensar como hacker, saber explorar brechas criando ou editando códigos e entender como falhas de segurança são utilizadas pode ajudar no entendimento e gerenciamento da aplicação de correções e patches

Expandindo a visão de um líder de Segurança

Seu papel nunca será o mesmo em uma organização: o relacionamento com times de tecnologia, desenvolvimento, arquitetura e business, será um terreno hostil e você precisará mergulhar fundo, sem medo, para alcançar patamares jamais explorados ou experimentados




Newsletter

Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues
Rangel Rodrigues